AGORA NO BLINK

|COMENTÁRIOS| THE 100 S05XE01 - EDEN




May we meet again! Após um longo hiatus de exatos onze meses, uma das produções mais bem-sucedidas do canal The CW está de volta. The 100 é conhecida por renovar a storyline à cada temporada e dessa vez não poderia ser diferente, a série pós-apocalíptica retorna de maneira irônica.

No começo da série, o planeta era considerado inabitável, repleto de radiação. Os descendentes dos sobreviventes estavam confinados na Arca e na instalação de Mount Weather, um cenário introduzido mais tarde. Porém, os primeiros não sabiam que milhares de grounders habitavam a Terra, dividindo-se em 12 clãs e lutando entre si. Agora, 1.200 estão presos em um bunker e oito estão no anel restante da Arca, sem saber que Clarke (Eliza Taylor) e Maddie (Lola Flanery) tentam sobreviver em lugar intocado pela radiação: o Éden. 

“It’s like we were never here. Maybe, we never should have been.” Os primeiros 23 minutos narram exclusivamente os primeiros dois meses de Clarke após Praimfaya. É interessante ver como os roteiristas conseguiram encontrar tempo dentro dos enxutos 13 episódios para focar em uma personagem e sua saga sozinha (nem tanto) em um cenário completamente desconhecido. É como se ela estivesse na Terra pela primeira vez, mas sem os 100. 

Antes de entrarmos afundo no episódio, gostaria de destacar a nova abertura. Há duas mudanças principais, o cenário e a adição de uma atriz ao elenco regular: Tasya Teles (Echo). É bem visível o quanto foi investido na computação gráfica, a visão do mapa destruído ajuda a audiência a entrar no clima. E à respeito de Tasya, já era esperado que Echo fosse promovida a personagem regular por estar no espaço, resta aguardar se a guerreira cruel das temporadas anteriores sofrerá mudanças drásticas em uma nova realidade. Detalhe: até hoje não entendo o porquê de Paige Turco (Abby) ser creditada antes de Bob Morley (Bellamy), ele possui muito mais importância e tempo de tela.

Voltando ao episódio, Polis está completamente destruída e a tentativa de Clarke alcançar o bunker é inútil. Por isso, decide ir até os escombros de Arkadia, onde temos a nossa primeira cena de partir o coração. Ela encontra o antigo mp3 de Maya (Eve Harlow), os óculos e a carta de suicídio de Jasper (Devon Bostick), endereçada a Monty (Christopher Larkin).

O fundo do poço é desencadeado por uma série de eventos, primeiro o rover deixa de funcionar, depois ela decide seguir a pé sem rumo. Desidratada, desmaia e chega a ser confundida com um cadáver, depois que um pássaro começa a bicar sua perna. Então, sem amigos, família ou lar, decide tirar a própria vida, mas desiste quando um pássaro desponta no céu. Ao segui-lo, encontra o lugar que dá nome ao episódio, Éden.

“What becomes the Commander of Death when there is no one left to kill?” O vale encontrado não foi destruído pela tempestade, mas foi irradiado. Clarke encontra um vilarejo colorido, pertencente a um dos clãs, uma atmosfera pacífica, porém repleta de corpos. Após queimá-los, aquele se torna o seu lar, onde ela passa os dias refletindo sobre tudo o que aconteceu e conversando com o rádio na esperança que alguém consiga ouvi-la. 

De repente, surge a versão mais jovem de Maddie, interpretada por Lina Reena. Em poucos minutos, é explicada como a pequena nightblood arisca começou a confiar em Clarke. 

Seis anos se passaram e vemos pela primeira vez os habitantes da Arca, fica claro que as cenas são antes do pouso da nave de prisioneiros. Murphy (Richard Harmon) está passando por uma crise existencial há seis meses e o relacionamento com Emori (Luisa d’Oliveira) parece ter acabado. Ainda sobre laços românticos, Harper (Chelsey Reist) e Monty parecem estar mais unidos do que nunca, é triste ver que ele ainda se sente culpado pelo o que aconteceu com Jasper e sua mãe. Infelizmente, há um novo shipp: Bellamy e Echo, o meu coração Bellarke está despedaçado. E após a declaração do produtor-executivo, Jason Rothenberg, sobre a inexistência de triângulos amorosos nessa temporada, a probabilidade do meu shipp acontecer fica cada vez menor. Se apenas ele afirmasse jamais ocorrerá, eu e muitos fãs poderíamos deixar de sermos trouxas.

A nossa engenheira preferida, Raven (Lindsey Morgan) não conseguiu resolver o problema da falta de combustível para retornar ao planeta, mais precisamente ao Éden, e descobrimos que a ideia do nome bíblico foi deles. Porém, a solução literalmente caiu do céu: a nave da Eligius Corporation apareceu. Consequentemente, decidem usar o resto do combustível para se acoplar à nave e pedir mais combustível. Provavelmente, se tornaram prisioneiros e assim chegarão à terra-firme. 

No presente, os tripulantes são liderados por Charmaine (atriz convidada Ivana Milicevic) que vasculham o Vale e a Vila em busca de moradores e acabam encontrando Maddie escondida e um homem ameaça matá-la. Entretanto, Clarke com seu instinto protetor rapidamente chega ao local conseguindo impedir e lançando sua frase icônica, “there are no good guys.” Porém, Maddie teve de manchar suas mãos de sangue, como a garotinha lidará com seu primeiro assassinato? 

Finalmente, temos as primeiras imagens do bunker, onde ocorre uma luta mortal em uma espécie de ringue, enquanto Octavia (Marie Avgeropoulos) assiste de camarote. É uma pequena amostra do próximo episódio, intitulado Red Queen, podemos esperar muita matança e zero misericórdia da líder do clã. Estou ansiosa para ver o que aconteceu com Abby, Kane (Henry Ian Cusick) e Jaha (Isaiah Washington), afinal eles não permitiram que tal brutalidade acontecesse. 

Honestamente, Éden é o melhor episódio da série. Com uma bela fotografia e computação gráfica, conseguiram narrar os principais eventos sem cansar o espectador. Agora, será trabalho dos flashbacks durante temporada para preencher as lacunas restantes e responder algumas das principais dúvidas dos fãs. 

Onde passa na tv: Warner 

Nenhum comentário