AGORA NO BLINK

|COMENTÁRIOS| GAME OF THORNES S07XE01 - DRAGONSTONE



Oi, gente, eu sou Gustavo Ferrera, da página Tirinhas Game Of Thrones. Vou falar um pouco sobre o primeiro episódio da sétima temporada. Vamos começar?

O episódio começa já com uma cena, o que não é normal em GOT. Todos sabemos que Walder Frey está morto, mas também sabemos que Arya Stark pode mudar de rosto. Quando a cena começou, eu já esperava um Casamento Vermelho, parte dois. Eu realmente pensei que aconteceria um massacre, mas, como Arya estava sozinha não poderia fazer muita coisa. Então ela usou uma arma bem conhecida por “mulheres sempre usarem”: veneno. Depois ela faz um discurso bem bonito, enquanto os homens começam a morrer. A frase final, porém, foi a melhor:

“Quando perguntarem o que aconteceu, diga que o Norte se lembra. Diga que o inverno chegou para a Casa Frey.”

Nem chorei, só tremi.

Depois da famosa abertura vemos o Rei da Noite com sua horda de mortos. O inverno chegou, amigos. Bran e Meera, finalmente, chegam à Muralha e conseguem atravessar. Espero que o Bran não faça nenhuma bobagem. Na cena seguinte, Jon está com os lordes do Norte, mais a Sansa, Brienne e alguns outros. Lyanna Mormont fora muito ousada em desafiar o Lorde Glover. Que menina porreta. Gostei muito da forma como o Jon poupou a vida de Ned Umber e Alys Karstark, não culpou os jovens pelos erros de seus pais. Sansa, porém, não gostou muito da ideia. A garota Stark  mais velha, um pouco depois da reunião, confessa que aprendeu muito com Cersei Lannister. Será que teremos mais atrito entre os dois? 

Cersei Lannister convidou o Euron Greyjoy para ir à capital, mas não aceitou sua oferta. Ela foi um pouco prepotente, eu acho. A mulher tinha um homem com mais de mil navios e deixou-o ir. Certo que ele voltará, mas precisava Cersei? Mas adorei a forma como o Euron zombou do Jaime, por ele ter “duas mãos.” Só quero ver o presente que ele dará a ela.

O Sam na Cidadela foi bem chatinho, confesso, mas ele finalmente descobriu sobre o vidro de dragão que fica sob Pedra do Dragão e, cara, o Jorah apareceu. Foi tão triste vê-lo daquela forma, com o braço todo tomado pela escamagris. 

Gostei da forma como a Sansa falou com o Mindinho. Fria. Ousada. Ela está tramando alguma coisa contra ele, certeza. 

Voltando a Arya. Vemos o Ed Sheeran, cantando com seus amigos soldados. Ele faz um pequeno papel de soldado Lannsiter. Fiquei surpreso ao saber que ela, a Arya, estava indo para o Sul. Jurei por todos os deuses que a menina estava seguindo para casa. Sinceridade define ela.

“Por que uma boa garota está a caminho de Porto Real?”

“Eu vou matar a rainha”. - Os soldados não acreditaram, mas todos nós sabemos que ela estava falando a mais pura verdade. 

A cena da Irmandade Sem Bandeira com o Cão de Caça foi bem bonita também. O Cão viu a Muralha nas chamas e disse que os mortos estavam chegando. Nunca imaginei ver o Sandor Clagane tão mudado, gente. Achei bem emocionante quando ele resolve enterrar os corpos que eles encontraram na casa onde ficaram, quase chorei. O Cão rezando foi a melhor parte. Certamente veremos o lado “bom” dele em outros episódios.

Na reta final do episódio, temos, finalmente, depois de longas seis temporadas, Daenerys Targaryen chegando em Westeros. Junto com Tyrion, Missandei, Verme Cinzento e, é claro, seus gigantes dragões. A cena cria toda uma tensão. Ela chegando e pegando a areia, foi uma cena bonita de se ver. Entrando no castelo, tirando o estandarte do Stannis e, por fim, mas não menos importante, ela, a Mãe dos Dragões vendo a Mesa Pintada, a mesa que Aegon, o Conquistador fizera. O episódio termina com ela olhando para o Tyrion e perguntando: “Vamos começar?”

Bem, gente, espero que tenham gostado. Foi um texto pequeno porque eu ainda estou em choque com esse episódio maravilhoso. Algumas cenas ainda estão frescas em minha memória. Domingo que vem tem mais Game Of Thrones. 

Obrigado e Valar Morghulis. 


Onde passa na tv: HBO

Nenhum comentário